INFORMATIVOS

Novos valores de benefícios e de contribuição para o INSS

A partir de fevereiro os aposentados começam a receber o benefício com o reajuste anual e quem está contribuindo para se aposentar tem que ficar atento para os novos valores de contribuição.



A partir de 1º de janeiro de 2018, os segurados da Previdência que recebem acima do salário mínimo terão o benefício reajustado em 2,07%. 



Este reajuste é proporcional para quem começou a receber o benefício há menos de doze meses.




Piso e teto de 2018



As aposentadorias e a pensão por morte não poderão ser inferiores a R$ 954,00, que é o novo salário mínimo.



A partir de janeiro de 2018 começou a valer o novo teto do INSS, ou seja, ninguém pode receber mais que R$ 5.645,80.



Esses novos valores são também os valores base para contribuição para a previdência social.



Quando o empregado tiver remuneração menor que o mínimo em um mês, ele deve fazer a complementação até o dia 20 do mês seguinte e a alíquota de contribuição é de 8% do valor da diferença. Isso vale para o empregado, inclusive o trabalhador intermitente.



Para quem trabalha por conta própria a complementação tem que ser feita no mês subsequente à prestação do serviço, mas a alíquota de contribuição é maior: de 20%.




Quem pagou errado ou não pagou nada



O trabalhador que pagou errado, com valor menor ou não pagou nada, pode regularizar esta situação.



Em primeiro lugar ele deve saber se vale a pena pagar essas contribuições. Elas podem estar prescritas e o INSS, neste caso, nem pode exigir o pagamento.



Mas, se o segurado quiser pagar essas contribuições para se aposentar mais cedo, ele pode pagar somente se provar que exerceu atividades profissionais no período que está em aberto.



Para saber se vale a pena pagar é preciso fazer um diagnóstico previdenciário por que eu já vi um monte de gente pagar um dinheirão e o investimento não serviu para nada. Virou despesa desnecessária.




Aposentadoria pelo teto



Este negócio de jogar dinheiro fora também se aplica para aquelas pessoas que estão pagando sobre o valor máximo (o teto) e irão se aposentar com valor menor.



Tem gente que paga o INSS como se estivesse pagando uma conta de luz, de energia elétrica.



Não é bem assim. Existe muita técnica nisso.



O primeiro passo é saber quando vai se aposentar e depois fazer uma simulação de quanto vai receber.



Para saber qual será o valor da renda futura é preciso simular o valor da média das contribuições que já foram feitas e planejar as que ainda serão efetuadas até chegar a hora da aposentadoria.



Dependendo do resultado encontrado o contribuinte pode aumentar ou diminuir a contribuição sem prejudicar o valor do benefício. 



Aposentfácil 2018 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: TECLABS