INFORMATIVOS

Aposentadoria: veja qual é a sua situação II

Escolher entre aposentar ou não aposentar pode não ser apenas uma simples opção do trabalhador.



As regras são tão complexas que na semana passada, em um curso de pós-graduação do qual sou professor, o debate sobre este tema envolvendo advogados especializados acabou não terminando depois de quase três horas de discussão, mas chegamos a algumas conclusões.



O INSS não está pronto para dar informação de qualidade ao cidadão e bater o martelo para receber a aposentadoria antes da hora certa pode causar prejuízos irrecuperáveis ao trabalhador.



 




Tabela prática para minimizar o dano



 



A tabela que postamos no G1 (http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/pode-perguntar/) mostra o percentual de aumento anual que o valor das aposentadorias ganha depois dos 25 anos de contribuição.



Pela nova regra todas as aposentadorias seriam calculadas da mesma forma: por idade, especial ou do professor, sendo certo que a aposentadoria por tempo de contribuição deixaria de existir.



O tempo de contribuição serviria apenas para aumentar o valor do benefício.



 



Homem



Mulher



Até 2019



55



53



2020 – 2021



56



54



2022 – 2023



57



55



2024 – 2025



58



56



2026 – 2027



59



57



2028 – 2029



60



58



2030 – 2031



61



59



2032 – 2033



62



60



2034 – 2035



63



61



2036 – 2037



64



62



2038



65



62



 




Pulo do gato



 



Uma mulher com 48 anos de idade e 30 anos de contribuição somente atingiria a aposentadoria integral no ano de 2021 ou 2022.



Caso se aposente agora, perderia 47,4% do valor do benefício por causa do fator previdenciário.




E com a nova regra, qual seria a perd

a? Para detectar a perda é preciso verificar o ano no qual irá atingir a idade mínima para se aposentar de acordo com a tabela ao lado.



Depois é preciso saber quanto tempo de contribuição a segurada terá nesta data.



No nosso exemplo a aposentadoria aconteceria entre 2024 e 2025, por que a trabalhadora que hoje tem 48 anos de idade atingiria a idade mínima para se aposentar (56 anos) em 2025.



Se continuou contribuindo teria 38 anos de contribuição e a perda seria de apenas 5%.



Como se vê, com a aprovação das novas regras, com mais um ou dois anos de contribuição a trabalhadora teria um aumento na aposentadoria de mais de 40% em relação à aposentadoria proporcional.



No caso do nosso exemplo, valeria a pena esperar.



Aposentfácil 2017 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: TECLABS