INFORMATIVOS

A lei vai mudar: espero ou me aposento?

Nem espere, tampouco se aposente: habilite seu direito no INSS.



Desde quando foi criado em novembro de 1999, o fator previdenciário tem sido a pedra no sapato de quem quer se aposentar.



Este fator, que pode reduzir à metade o valor da aposentadoria, decorre da combinação do tempo de contribuição, da idade e da expectativa de vida.



Agora, além do fator previdenciário, também tem a introdução da idade mínima para obtenção da aposentadoria por tempo de contribuição.




Direito adquirido



O segurado que já pode se aposentar ou que está próximo da aposentadoria deve elaborar um diagnóstico previdenciário para saber qual será o valor do benefício a fim de detectar se realmente vale à pena esperar a alteração da lei.



Juntamente com a Aposentfácil, empresa especializada em planejamento de aposentadoria, elaborei vários cálculos e detectei que na maioria dos casos o segurado já poderia ter habilitado seu direito no INSS e esperar tranquilamente o que vai acontecer com a reforma da previdência social.




Pulo do gato



Desde que não receba nenhuma parcela do benefício, nem o FGTS e o PIS-PASEP, o segurado pode desistir da aposentadoria quando quiser.



Assim, depois de requerido o benefício, ficaria assistindo de camarote o que vai acontecer com a reforma previdenciária.



Caso as regras aprovadas sejam piores, é só ir até o INSS e começar a receber o benefício.



Por outro lado, se as novas regras forem boas, poderá desistir da aposentadoria e continuar contribuindo e planejar um benefício maior.



Esta dica é excelente, mas tem que ser muito bem executada.




Regras de transição





As novas regras ainda não foram aprovadas, mas já foi definido o texto base que servirá para votação no Congresso Nacional. Ele estipula que haverá uma idade mínima para aposentadoria por tempo de contribuição: cinquenta e cinco anos para o homem e cinquenta e três para mulher.



Este requisito etário aumentará gradativamente até chegar aos 65 anos para o homem e 62 anos para mulher.



Além da idade mínima será exigido também um adicional de tempo de serviço de 30% do tempo que faltar para a aposentadoria (pedágio).






www.tempodeservico.com.br





Desenvolvi um aplicativo por meio do qual o segurado pode calcular seu tempo de contribuição, inclusive fazer a conversão do tempo de serviço especial em comum. Assim pode saber quando irá se aposentar.



Antes de começar a fazer o cálculo do tempo de serviço no site www.tempodeservico.com.br, o trabalhador deve pegar o CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais no INSS. É de graça.



Aposentfácil 2017 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: TECLABS